Panorama da geração de energia limpa no Brasil!

Panorama da geração de energia limpa no Brasil!
3 minutos de leitura

O Brasil tem avançado positivamente na geração de energia limpa. Veja neste conteúdo as principais fontes utilizadas no país!

Você sabe como é a geração de energia limpa no Brasil? Primeiramente, é importante definir o conceito. Energia limpa é toda energia renovável que não emite substâncias poluidoras em sua produção ou uso. Nesse caso, são consideradas energias limpas: energia solar, eólica, geotérmica, hidráulica, biomassa e maremotriz.

Essas fontes surgem como grandes apostas para substituir a matriz energética dos países, visando uma geração mais limpa e sustentável. Nesse sentido, o Brasil tem se destacado positivamente. Para entender melhor o cenário e o futuro da energia limpa, leia o conteúdo até o final.

Quais as fontes de energia limpa utilizadas no Brasil?

Embora o país já utilize fontes de energia limpa, o uso dos combustíveis fósseis ainda representa cerca de 36% da matriz energética brasileira. Esse tipo de energia ainda é majoritariamente utilizado em todos os países do mundo, para mover indústrias e servir de combustível para carros, caminhões e aviões. O grande problema é que essa fonte não é renovável e gera problemas ambientais devido à liberação de gases poluentes, como o CO2, que intensifica o efeito estufa e agrava o aquecimento global.

Por isso, as pesquisas têm avançado em busca de novos modelos energéticos, que minimizem os impactos à natureza e a energia limpa é uma dessas opções. A adoção do Brasil por fontes renováveis é resultado de dois grandes projetos: o investimento no passado em usinas hidrelétricas e a utilização de etanol de cana-de-açúcar como combustível de automóveis, principal fonte renovável da matriz energética nacional.

O panorama da geração de energia limpa no Brasil é bastante favorável. Aqui, as fontes renováveis mais utilizadas são: energia hidráulica (60%), eólica (9%), biomassa (8%), solar (2%) e nuclear (1%). Mas, como é possível perceber, o país ainda é bastante dependente da fonte hidráulica e em épocas de pouca chuva ou crescimento na demanda, essa dependência se transforma em aumento nos custos para o consumidor.

Em 2020, de acordo com a Absolar, houve um crescimento de 130% nos sistemas de geração de energia solar fotovoltaica em relação ao ano anterior. Mas o que ainda impede que esses números sejam melhores, são as faltas de incentivos fiscais e maiores investimentos voltados para o segmento de energia limpa.

Qual a situação do Brasil em relação a outros países?

No caso da matriz elétrica nacional, 82,9% das fontes energéticas são sustentáveis e limpas, enquanto a média global é de 26,7%. Isso significa que a matriz energética brasileira é uma das mais limpas do mundo, ficando atrás da China e dos Estados Unidos.
Em 2019, a Inglaterra teve mais energia elétrica vindo de fontes renováveis (solar, eólica e hídrica) do que de derivados de petróleo. Além disso, em abril de 2020, nos Estados Unidos, a geração por fontes limpas ultrapassou a do carvão. À medida que a população mundial cresce, aumenta-se a demanda por energia e as fontes de energia limpa e renovável ​​são a resposta para fornecer soluções energéticas sustentáveis.

Embora o panorama de geração de energia limpa do Brasil seja favorável, a dependência de uma única fonte ainda é um entrave no desenvolvimento energético. Assim, é preciso que os investimentos sejam ampliados a fim de diversificar a matriz e gerar segurança energética. Nesse caso, o cenário mais favorável são os investimentos em energia eólica e solar que tem um grande potencial de expansão no país.

Ainda tem alguma dúvida sobre o assunto? Entre em contato conosco.

Comente

Não há comentários sobre este post. Seja o primeiro.

Deixe um comentário