Por que é preciso se preocupar com a pegada de carbono?

Por que é preciso se preocupar com a pegada de carbono?
3 minutos de leitura

O volume todo de gases de efeito estufa (GEE) gerado pelas atividades econômicas e rotineiras é conhecido como pegada de carbono. Entenda como calcular e mitigar.

Você conhece o termo pegada de carbono? Associada às emissões de gases de efeito estufa, a pegada de carbono da humanidade é a principal causa do aquecimento global e das mudanças climáticas.

Nos últimos anos, o termo tem ganhado relevância e muitas empresas já começaram a desenvolver ações de diminuição da pegada. Para evitar que o aumento da temperatura média global chegue a 2ºC até o final do século, a pegada de carbono média anual por pessoa deve ficar abaixo de 2 toneladas até 2050. Porém, atingir essa meta não vai ser fácil. Um americano, em média, tem uma taxa de 16 toneladas por ano.

O que é pegada de carbono?

O termo pegada de carbono vem da tradução do inglês “carbon footprint” e faz uma analogia às pegadas. Conforme andamos, deixamos marcas e o mesmo ocorre quando consumimos coisas, deixamos marcas no planeta em forma de emissão de carbono.

A expressão foi criada em 1990, no livro “Pegada Ecológica – Reduzindo o impacto do ser humano na Terra” e trabalha a ideia de que quando se calcula a pegada de carbono, ou seja, o impacto do nosso consumo no planeta, é mais fácil entender e nos preocupar com as mudanças climáticas. Afinal, há uma centena de anos, a pegada de carbono era uma fração muito pequena de toda a pegada ecológica. Mas, desde 1970, nossa pegada de carbono total mais do que triplicou.

Assim, a pegada de carbono é o cálculo feito da emissão total de gases do efeito estufa (GEEs), incluindo o dióxido de carbono (CO2) e o metano (CH4) associados às atividades humanas no planeta, incluindo desde a produção até o descarte de produtos.

A pegada de carbono é um dos indicadores levados em consideração na Avaliação do Ciclo de Vida. Esse método é uma técnica de avaliação e quantificação de impactos ambientais possíveis associados a um produto ou processo.

Como calcular e reduzir a pegada de carbono?

Um dos grandes desafios da diminuição da taxa de pegada de carbono é que ela exige hábitos de vidas mais simples, como diminuição e trocas de alimentos, menos viagens de avião e uso de meios de transporte que não utilizam combustíveis fósseis. Para além do fato da necessidade de troca de hábito, muitas das opções que são alternativas sustentáveis possuem um custo muito mais alto que os modelos padrões, como o carro elétrico.

É possível que o cidadão também descubra a média de pegada de carbono considerando seus hábitos, tipo de moradia, modelo de vida, consumo de carne e uso de energia. Tanto a ONU quanto a WWF Brasil oferecem calculadoras para saber qual o valor de impacto causado.

Normalmente, as empresas realizam um inventário para quantificar as suas emissões de gases do efeito estufa de acordo com a atividade realizada e propor formas de diminuição. Já que o mundo corporativo realiza muitas atividades que geram GEE durante seus processos de fabricação, transmissão ou consumo de energia, as organizações precisam diminuir ou compensar sua pegada de carbono. Inclusive, essa é uma demanda que já começou a ser cobrada pela sociedade e consumidores.

Para isso é possível implementar várias ações, como melhoria de eficiência energética, mudança no modelo de energia utilizado, saindo do combustível fóssil para opções renováveis, investimento em reciclagem e economia circular e aumento no uso de tecnologias que impulsionam a sustentabilidade. Em casos que não seja possível mudar o sistema interno, as empresas podem comprar créditos de carbono, para viabilizar financeiramente ações sustentáveis que compensem a emissão causada.

Se você gostou deste conteúdo e quer saber mais, leia o nosso texto e entenda se é possível zerar as emissões de CO2.

Comente

Não há comentários sobre este post. Seja o primeiro.

Deixe um comentário