Geração de energia: como extrair biogás dos aterros sanitários?

como extrair biogás dos aterros sanitários?
3 minutos de leitura

Com uma alta demanda energética, o Brasil busca novos meios de geração de energia, e a extração do biogás dos aterros sanitários é uma dessas opções.

Você sabe como ocorre a geração de energia por meio da extração do biogás de aterros sanitários? Embora a proteção ao meio ambiente seja um tema de destaque na Constituição de 1988, atualmente, grande parte do descarte de resíduos sólidos no país acontece em áreas expostas, como lixões e terrenos baldios.

Segundo o estudo da Associação Brasileira das Empresas de Tratamento de Resíduos Sólidos e Efluentes (Abetre), cerca de 60% dos municípios utilizam lixões. Isso ocorre, pois o custo desses modelos é muito menor quando comparado a outras alternativas.

Contudo, esse descarte incorreto gera problemas ambientais, como aumento dos gases do efeito estufa e poluição dos reservatórios de água e até mesmo do lençol freático pelo contato com o chorume, líquido poluente de cor escura e forte odor, originado de processos biológicos, químicos e físicos advindos da decomposição dos resíduos orgânicos.

Assim, investir na extração do biogás em aterros é uma alternativa de diminuir danos ao meio ambiente, além de estimular uma outra forma de geração energética. Entenda melhor!

O que é o biogás?

A decomposição da matéria orgânica é um processo natural que pode ocorrer com a presença do oxigênio, decomposição anaeróbia, ou a decomposição anaeróbia em que as bactérias quebram as moléculas da matéria orgânica, transformando-a em gases, como o gás metano que possui percentual de energia térmica.

Assim, o biogás é um tipo de gás inflamável produzido a partir da decomposição, por meio de micro-organismos da matéria orgânica. Normalmente, esse gás é composto por metano, dióxido de carbono e uma mistura de hidrogênio, nitrogênio, amônia, ácido sulfídrico, monóxido de carbono, aminas e oxigênio.

Além dos lixões, o biogás também pode ser encontrado em resíduos animais e vegetais, lodo de esgoto e efluentes industriais, como vinhaça, restos de matadouros e fábricas de alimentos. Ou seja, com investimento tecnológico é possível promover a geração de energia a partir de todo esse descarte.

Como o biogás proveniente dos aterros ajuda na geração de energia?

Um aterro sanitário é um local em que uma técnica é implementada para a disposição correta de resíduos sólidos urbanos, sem causar danos ou riscos à saúde pública. Com engenharia correta, os resíduos são compactados e sobrepostos acima do nível original do terreno, formando camadas e trincheiras, que impedem a contaminação. Nesse caso, é obrigatório que seja implementado um sistema de captação e drenagem dos gases gerados, no caso, o biogás.

Primeiramente, o biogás passa por um processo de purificação para a remoção de impurezas que podem ser danosas ao meio ambiente. Depois, na hora de gerar energia, ocorre a conversão da energia química do gás em energia mecânica por meio de um processo controlado de combustão.

Essa energia mecânica ativa um gerador que produz energia elétrica. As aplicações mais comuns do gás são o aquecimento e a geração de eletricidade ou cogeração. Além disso, o biogás também pode ser utilizado como combustível veicular e a injeção na rede de gás natural e até abastecer comunidades isoladas.

Embora o custo da eletricidade de um aterro seja alto, os seus benefícios ao meio ambiente são incalculáveis, inclusive podendo gerar créditos de carbono. Assim, com investimento em tecnologia, os aterros podem ser adaptados para a geração de energia a partir do biogás produzido, contribuindo para a diversificação da matriz elétrica brasileira, promovendo o desenvolvimento econômico e ampliando a proteção ambiental.

 

Comente

Não há comentários sobre este post. Seja o primeiro.

Deixe um comentário