Como as tecnologias disruptivas ajudam na sustentabilidade?

Como as tecnologias disruptivas ajudam na sustentabilidade?
4 minutos de leitura

As tecnologias disruptivas, além de terem um papel importante para a inovação, também ajudam na sustentabilidade. Leia o conteúdo e entenda essa relação.

As tecnologias disruptivas também chamadas de tech trends são as ferramentas que vão ajudar na transição energética e viabilizar o atingimento de várias metas globais. Muitas empresas, embora não sejam obrigadas, já estabeleceram pactos públicos para se tornarem carbono zero até 2050 e estão implementando outras ações ESG.

As organizações têm percebido que sem essa mudança os investidores e consumidores abandonam as marcas por outras organizações mais comprometidas com o meio ambiente. Mais de 50% dos CEOs globais estão preocupados com a inovação dentro das empresas. Portanto, com um contexto político favorável e um aspecto tecnológico promissor é possível desenvolver essas tecnologias.

De fato, já existe muita tecnologia sendo utilizada para promover a sustentabilidade, contudo, para que grandes mudanças possam ocorrer, é preciso avançar ainda mais em inovação.

Felizmente, o Brasil atua como um dos principais protagonistas dessa revolução energética, afinal temos uma matriz bastante limpa e renovável, em relação ao resto do mundo. Nesse contexto, é fundamental que as tecnologias aplicadas no país e no mundo tenham os objetivos sustentáveis como base de desenvolvimento.

O que são as tecnologias disruptivas?

Atualmente, para que as empresas se desenvolvam, é fundamental abandonar os antigos hábitos e ir em busca de algo novo. Assim, como o próprio nome sugere, as tecnologias disruptivas são aquelas que mudam completamente o mercado no qual elas estão inseridas.

Primeiramente, vale dizer que nem toda inovação é disruptiva. Muitas delas são inovações incrementais, que realmente ajudam no desenvolvimento de alguns mercados, mas que não o transformam. Assim, as tecnologias disruptivas são aquelas que revolucionam, trazendo uma nova solução, como internet das coisas, inteligência artificial ou realidade aumentada.

No mercado de energia, a tecnologia mais esperada é aquela que resolverá de uma vez por todas a questão do armazenamento de energia. No passado, isso foi resolvido com grandes reservatórios, mas agora é preciso um armazenamento diário ou semanal viável para gerações de outros modelos, que não o de hidrelétricas.

As inovações tecnológicas e a sustentabilidade

O Brasil possui uma matriz limpa e renovável, mas ainda há um déficit de infraestrutura de energia. Nesse sentido, as tecnologias disruptivas ajudam nesse tipo de desenvolvimento econômico, ajudando que processos se tornem mais eficientes e gastando menos, sem abrir mão das práticas sustentáveis.

Dessa forma, para os próximos anos, as tecnologias do hidrogênio verde, mobilidade elétrica, storage, termosolar (armazenamento) deverão mudar completamente a forma como o mercado de energia opera. Associado a isso, a inteligência artificial e a internet das coisas vão agregar um grande volume de dados necessários para trazer informação em tempo real e de maneira mais inclusiva.

Na prática, será possível que empresas geradoras de energia, por exemplo, visualizem exatamente o local em que perdem energia, melhorem a eficiência de produção e realizem outras tomadas de decisão baseada em dados.

No mercado de transporte e combustível, o destaque vai para os carros elétricos, que vão ajudar na descarbonização desse setor, que é um dos maiores responsáveis pelas emissões no mundo. No Brasil, ele é responsável por 13,8% das emissões de GEE. Além disso, o modelo de geração distribuída também será impactado com as tecnologias disruptivas. Com esse modelo se desenvolvendo no Brasil, o governo consegue não apenas atingir as metas globais como gerar emprego e renda, estimulando a economia.

Com a GD, modelos mais eficientes e renováveis estão ganhando espaço, como a energia solar que cresceu exponencialmente nos últimos 10 anos e a energia gerada a partir de resíduos sólidos e o biogás.

Assim, podemos concluir que as inovações tecnológicas estão sendo utilizadas no mercado de energia, contribuindo diretamente para o desenvolvimento de novas fontes energéticas e modelos mais sustentáveis. Seguindo essa mudança, as empresas estão investindo e subsidiando pesquisas e tecnologia, para alcançarem seus objetivos internos.

Gostou do conteúdo? Que tal ler sobre a COP 26?

Comente

Não há comentários sobre este post. Seja o primeiro.

Deixe um comentário