O uso do biogás para aviação e transporte marítimo

3 minutos de leitura

O uso do biogás vem sendo ampliado para a aviação e o transporte marítimo, ajudando na descarbonização desse setor tão poluente. Entenda melhor.

Como utilizar o biogás para aviação e transporte marítimo? Há um enorme potencial para esse gás se desenvolver no Brasil e contribuir com a produção de combustíveis renováveis, reduzindo as emissões de gases do efeito estufa no setor de transportes. O maior potencial de biogás no Brasil encontra-se no setor agropecuário e nos resíduos sólidos urbanos que também podem ser utilizados.

Este setor é responsável por cerca de 14% das emissões globais de gases nocivos. Do total do setor, 11% é do setor de aviação e 3% vem do transporte marítimo. Ou seja, são meios de transporte que poluem mais que ônibus, por exemplo, e que são opções de transportes importantes para a economia mundial.

Para comparação, segundo um estudo da Agência Ambiental Europeia, um avião carregando 88 passageiros emite 285 gramas de dióxido de carbono por passageiro a cada quilômetro viajado. Por outro lado, um trem com 150 tripulantes produz somente 14 gramas. Assim, é preciso desenvolver meios para que esses transportes se tornem mais sustentáveis e o biogás é uma das alternativas.

As vantagens ao utilizar o biogás na aviação e transporte marítimo

O biogás possui poder calorífico entre 4.500 e 6.000 kcal/m³ e pode ser consumido diretamente ou separado para se tornar biometano. Assim, a fonte tem aplicação desde a geração elétrica, uso veicular e injeção nas malhas de gás natural.

O combustível usado hoje no setor marítimo internacional é o óleo combustível pesado ou residual – heavy fuel oil. Ele é considerado o pior produto do petróleo, por ser a parte remanescente da destilação das frações pesadas obtidas em vários processos de refino do petróleo, e precisa ser aquecido e purificado para ser usado em motores de combustão interna para geração de calor.

Nos Estados Unidos e Noruega, o biogás já é utilizado em alguns projetos para o transporte naval. Com essas ações de sucesso, há um aumento de investimento em pesquisas de inovação para que não apenas o biogás, mas o gás natural e hidrogênio também sejam aplicados nesses meios de transporte e reduzam as emissões do setor.

Os projetos no Brasil para o uso do biogás

Segundo o Plano Decenal de Expansão de Energia 2031, o biogás é uma das alternativas para descarbonizar o setor dos transportes. Desde a criação da Política Nacional de Biocombustíveis (RenovaBio), o país vem criando projetos, como o mercado regulado de crédito de carbono e o Programa Combustível do Futuro, que devem impulsionar investimentos e alavancar novos combustíveis no país.

Além dos projetos desenvolvidos pelo governo federal, há ações estaduais. O governo do estado do Paraná lançou, em abril de 2022, um projeto para o desenvolvimento de tecnologias destinadas à produção de combustível renovável de aviação, a partir do biogás e do hidrogênio verde. O objetivo do empreendimento, que será realizado no Paraná até o final de 2023, é reduzir as emissões de gases do efeito estufa pelo setor aeroportuário.

Com a tecnologia alternativa, o setor de transportes pode restringir os impactos climáticos gerados pela queima de combustíveis fósseis, como a produção de Combustível Sustentável de Aviação – SAF em pequena escala.

Assim, esse e outros projetos substituem o uso do carbono pelo biogás, criando uma nova rota tecnológica para fontes alternativas de energia no Brasil. Esses esforços incentivam a economia local e reforçam medidas sustentáveis, como a necessidade do tratamento adequado dos resíduos orgânicos. Gostou do conteúdo? Ainda tem alguma dúvida sobre o assunto? Deixe o seu comentário no post.

Comente

Não há comentários sobre este post. Seja o primeiro.

Deixe um comentário