Investimento em biocombustíveis: entenda melhor!

Investimento em biocombustíveis: entenda melhor!
4 minutos de leitura

Investir na produção de biocombustíveis é uma boa alternativa para a economia e para o meio ambiente. Entenda melhor sobre essa opção.

Os biocombustíveis são combustíveis produzidos a partir de material vegetal, como cana-de-açúcar, óleo de sementes e grãos, ou matéria orgânica que não sofreram processo de fossilização. Assim, o biocombustível é uma alternativa mais sustentável, tornando-se uma opção interessante para substituir o uso dos combustíveis fósseis. 

O Brasil está começando a viver o auge do biocombustível tendo o etanol e o biodiesel como protagonistas. Até 2030 o país pode produzir 54 bilhões de litros de etanol, segundo o Presidente do conselho da Copersucar, maior cooperativa brasileira de açúcar e etanol. 

Por isso, os investimentos em biocombustíveis estão cada vez maiores e promissores. Entenda melhor sobre as possibilidades de negócio neste conteúdo. 

O que é o biocombustível? 

O biocombustível é produzido a partir de material constituído por substâncias de origem orgânica que permitem que o ciclo da matéria ocorra na natureza. Normalmente, são utilizadas plantas energéticas, como milho e cereais, e plantas oleaginosas, como amendoim, girassol e mamona. Também é possível gerar esse combustível de resíduos agrícolas, florestais e pecuários. 

Veja os principais biocombustíveis: 

  • Etanol: é tipo de álcool produzido a partir da cana-de-açúcar, beterraba ou milho. Pode ser misturado a outros combustíveis, como a gasolina e é utilizado na combustão interna de motores.
  • Biodiesel: biocombustível produzido a partir do óleo de grãos e sementes, como soja e girassol. Ele também pode ser produzido a partir de gordura vegetal, animal ou microalgas. 
  • Biogás: esse produto é gerado a partir da decomposição da matéria orgânica em ambiente livre de oxigênio gasoso. 
  • Biomassa: matéria orgânica utilizada para produção de energia. Ela pode ser gerada por resíduos de origem vegetal ou animal. 

As gerações de produção de biocombustível 

A produção de biocombustíveis pode ser dividida em gerações. Os combustíveis de primeira geração são fabricados a partir de espécies vegetais produzidas pela agricultura, como a cana, o trigo, a colza e a beterraba. Os materiais de segunda geração consistem, principalmente, no etanol celulósico. Essa produção se dá por meio da celulose e outras fibras vegetais da madeira, que são convertidas em combustível por meio de procedimentos bioquímicos e termoquímicos. 

A terceira geração refere-se à produção baseada em espécies vegetais de rápido crescimento, como as microalgas. O objetivo da ciência é modificar geneticamente as espécies, a fim de que a conversão do material em biocombustível se dê de forma mais simples, como na segunda geração. 

A quarta geração consiste na modificação genética de árvores para que elas forneçam biomassa rica em carbono e eficientes na captura de dióxido de carbono. Certamente, ainda há muito que se pesquisar e investir, mas é fato que esse campo se desenvolverá muito nos próximos anos. 

Por que esse mercado está em ascensão? 

 A busca por alternativas de combustíveis mais sustentáveis é um caminho importante para os países que desejam se desenvolver. O Brasil é o segundo maior produtor mundial de biocombustível e ratificou o Acordo de Paris que estimula o uso de combustíveis não poluentes. 

Os dois tipos de biocombustíveis mais produzidos aqui são o etanol extraído da cana-de-açúcar e o biodiesel produzido a partir de óleos vegetais. O Brasil tem uma grande potência agrícola e a previsão para 2020 é que a produção de biocombustíveis chegue a 33,3 bilhões de litros, reduzindo em até 80 milhões de toneladas de gases de efeito estufa que seriam emitidos na atmosfera. 

Quais as vantagens do uso de biocombustíveis?

A diminuição de emissão de dióxido de carbono é uma meta de muitos países no mundo todo e o transporte é uma das principais fontes para o aumento da emissão mundial. Para diminuir essa porcentagem, uma das alternativas é minimizar o uso de combustíveis fósseis, como gasolina, gás natural, diesel e carvão mineral, passando a utilizar fontes mais sustentáveis, como os biocombustíveis. 

Os combustíveis sustentáveis também têm aplicação na geração de energia. Além disso, são opções com melhor custo-benefício de investimento, ajudam na sustentabilidade ambiental e têm um manuseio e armazenamento mais seguro. 

Dessa forma, podemos concluir que o Brasil é um país com grandes possibilidades para investimento de biocombustíveis. Além disso, o avanço tecnológico e as pesquisas têm facilitado ainda mais essas práticas. Se você gostou desse texto e quer ler mais sobre energia renovável, acesse este post!

Comente

Não há comentários sobre este post. Seja o primeiro.

Deixe um comentário